Vinho Italiano

O Friuli e o ritual do “tajùt”

Em Udine e em todo o Friuli existe um costume pelo qual os Friulianos são conhecidos em toda a Itália: o ritual do tajùt. Nenhum Udinese ou Friuliano na hora do aperitivo perde um taj di ros ou um taj di blanc, em alguma taverna típica ou em um bar no centro.

O vinho é um elemento que caracteriza e vincula fortemente os Friulianos à sua terra. E em Udine, em particular no centro histórico, que uma tradição querida se repete todos os dias: o ritual do tajùt.

Mas o que é e de onde vem o termo tajùt?

Na língua friuliana, tajùt é o copo de vinho, mas a origem de seu significado ainda permanece um mistério hoje:

  • alguns historiadores acreditam que o tajut era a unidade de medida usada pelo anfitrião para indicar a quantidade máxima de vinho a ser derramado em uma taça
  • outra teoria defende, porém, que o termo nasceu para indicar a fase de blend de diferentes tipos de vinhos
  • outra hipótese argumentaria que Tajut deriva de “corte” e era usado para distinguir uma forma particular de regar o vinho com água

O tajùt encomendado numa taberna friuliana é um dos costumes mais profundos, tradicionais e característicos da região. Na verdade, todo friuliano tem o hábito de abrir o apetite nas horas que antecedem o almoço ou jantar com uma taça de vinho acompanhada de um gostinho das iguarias friulianas.

Hoje, ao entrar num dos inúmeros bares que animam o centro histórico, e pedir um “taj”, é servido uma taça de vinho, que pode ser taj di ros ou um taj di blanc, ou seja, uma taça de vinho branco ou tinto.

Em particular, o tajùt é frequentemente acompanhado por canapés ou presunto San Daniele (presunto cru regional) e por alguns toc di formadi (pedaços de queijo, muitas vezes stravecchio). Almôndegas ou rodelas de cotechino acompanhadas da tradicional polenta torrada também são comuns.

As Osterias Friulanas

Em Udine as osterias são uma condensação de qualidades gastronómicas, vindas das diferentes zonas da região (mar, planície, montanha, carste). São certamente um carro-chefe do território, caracterizadas pela teimosia e experiência dos anfitriões que procuram sempre oferecer a melhor qualidade aos seus clientes. Qualidade garantida desde a antiguidade, textos históricos testemunham que já em 1500 a Comune de Udine cuidava da qualidade da comida e do vinho destinados às zonas de restauração, elegendo oito conselheiros especializados na degustação dos produtos. Além de definirem os preços corretos para as mercadorias, eles se encarregavam de testar a qualidade dos produtos destinados as osterias, degustando assim na “Piazza del Vino” (hoje Piazza Libertà), antes da habitual entrega das mercadorias, também os vinhos que iriam encher os tajùts dos clientes.

Claro, hoje as coisas estão mudando um pouco. As osterias são o próprio anfitrião quem abre as portas à excelência e a promove através da organização de eventos, degustações em companhia de produtores de vinho para criar caminhos para descobrir o terroir e a matéria-prima. O “oste“muitas vezes se torna um confidente, com quem “jogar conversa fora” e com quem debater sobre enogastronomia. Acima de tudo, se ambos são apaixonados por vinhos e comida de qualidade!

O vinho friulano

O tradicional corte de vinho numa taberna friulana, portanto, também reserva boa qualidade, uma característica fundamental para todos os produtores de vinho da região. Isto porque a produção se mantém sempre em estreito contato com a tradição, sendo tratada pessoalmente pelos enólogos, que juntamente com os proprietários se tornam arquitetos da qualidade do seu produto e garantem que este tenha sempre uma continuidade no tempo.

Os vinhos do Friuli são provenientes das oito zonas DOC para um total de 1500 vinícolas que eles produzem 80 milhões de garrafas por ano, com rótulos renomados. Leia o texto – Os vinhos do Friuli

Friuli-Aquileia, Carso, Collio, Friuli Colli Orientali, Friuli Grave, Friuli Latisana, Friuli-Isonzo, Friuli Annia são as áreas DOC dedicadas à produção de vinho desde os tempos romanos. As três áreas DOCG são Colli Orientali del Friuli Picolit, Ramandolo e Rosazzo.

Finalmente, existem 3 DOCs inter-regionais: Prosecco, delle Venezie e Lison Pramaggiore.

Uma tradição Friulana

Beber um copo de vinho na companhia, saborear alguns petiscos enquanto se atualiza sobre os últimos acontecimentos da cidade ou povoado, é certamente uma das tradições friulianas mais consolidadas, uma das coisas que os locais sempre foram acostumados a fazer e que sempre permanecerá nos seus costumes mais típicos.

E como se costuma dizer nas tabernas friulianas, quando se está prestes a saborear o seu tajùt, «SALÛT!».

entendedores entenderão ?
Sobre Deyse RibeiroDeyse Ribeiro é natural de Minas Gerais, mas vive na Toscana desde 2007. Fez curso de sommelier na FISAR, master em Wine Expert (Academia del Gusto) e Guia Enológica na Itália. É empresária, guia de turismo, especialista em turismo de experiência na Itália, além de editora do Portal Tour na Itália, e deste site.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *