Vinho Italiano

Viagem pela Rota do Prosecco no Vêneto

Se você é apaixonado por vinhos e quer conhecer um pouco da sua história, além de provar o que há de melhor na Itália, que tal conhecer a rota do Prosecco, em italiano “Strada del Prosecco”? Criada em 2003, esse é um percurso muito famoso.

Recebendo milhares de turistas todos os anos, esse é o lugar perfeito para os amantes dessa bebida alcoólica. Inclusive, na rota do Prosecco você aproveita o que melhor há na Itália: paisagens belíssimas, história e vinho.

Ficou curioso? Essa é uma rota que foi criada tendo como inspiração o primeiro percurso de vinhos italianos criado em 1996.

Assim, ao percorrer as montanhas de Conegliano e Valdobbiane, você estará conhecendo uma região belíssima e famosa pelas paisagens únicas, Vêneto.

Agora que já introduzimos o tema, vamos conhecer ainda mais as vantagens de fazer a rota do Prosecco? A seguir explicaremos mais sobre o 55º Patrimônio Histórico tombado pela UNESCO na Itália. Vamos lá!

Rota do Prosecco no Vêneto - Itália
Rota do Prosecco no Vêneto – Itália

O Prosecco

Conegliano Valdobbiadene – Prosecco, também denominado Conegliano – Prosecco ou Valdobbiadene – Prosecco, é um vinho com denominação de origem controlada e garantida (DOCG) produzido exclusivamente nas colinas da alta província de Treviso entre 150 e 350 metros de altitude, em particular na área montanhosa entre Vittorio Veneto e Valdobbiadene.

O terroir DOCG inclui 15 municípios: Conegliano, Susegana, San Fior, San Vendemiano, Colle Umberto, Vittorio Veneto, Tarzo, Cison di Valmarino, Follina, Miane, San Pietro di Feletto, Refrontolo, Pieve di Soligo, Farra di Soligo, Vidor e Valdobbiadene.

Entre elas destacam-se os “cru” ou o famoso “Superiore di Cartizze e o “Rive” feito de uvas cultivadas exclusivamente em um único município ou fração deste. O Conegliano Valdobbiadene DOCG é produzido na tipologia Spumante, Frizzante e Tranquillo. O spumante é a versão símbolo da denominação, produzido na versão Brut, Extra Dry e Dry, de acordo com o açúcar residual presente, do mais seco, o Brut, ao mais amável, o Dry.

Porém, ao contrário do Champagne, método de espumantização do Prosecco é o Martinotti-charmat a partir do qual as versões Brut, Extra Dry (que é a versão tradicional e mais consumida) e Dry são obtidas a partir da concentração de açúcar residual após refermentação em autoclave.

Para saber mais, leia o texto: Qual a diferença entre Prosecco e Espumante?

Rota do Prosecco no Vêneto - Itália

As colinas do Prosecco di Conegliano e Valdobbiadene

As colinas Prosecco di Conegliano e Valdobbiadene são um conjunto de colinas integradas na província de Treviso, no Veneto, caracterizadas pela zona vitícola da zona vinícola de Prosecco di Conegliano-Valdobbiadene DOCG.

Desde 2019, as colinas foram incluídas na Lista do Patrimônio Mundial da UNESCO.  A área central, que é a área reconhecida como Patrimônio da Humanidade, objeto de proteção e proteção, tem uma extensão de 9.197,45 hectares e inclui os territórios montanhosos pertencentes aos Municípios de Valdobbiadene, Vidor, Miane, Farra di Soligo, Pieve di Soligo , Follina, Cison di Valmarino, Refrontolo, San Pietro di Feletto, Revine Lago, Tarzo e Vittorio Veneto.

A esta área deve ser adicionada uma zona tampão (9.769,80 hectares) com a presença de áreas montanhosas de menor importância. É constituída pelos municípios de Conegliano, Susegana e San Vendemiano. Em seguida, foi adicionada a “zona de compromisso” onde podem ser reconhecidos os protagonistas da candidatura, mas com um maior desenvolvimento da urbanização. É composto pelos municípios de Cappella Maggiore, Colle Umberto, Codognè, Cordignano, Fregona, Godega di Sant’Urbano, Mareno di Piave, Moriago della Battaglia, Sarmede, San Fior, Sernaglia della Battaglia, Segusino, Santa Lucia di Piave e Vazzola.

Rota do Prosecco no Vêneto - Itália

Eles são caracterizados por uma conformação geológica particular chamada hogback, ou seja, eles constituem uma série de colinas com uma crista estreita e encostas íngremes em ambos os lados, intercaladas com pequenos vales paralelos. O local inclui uma grande parte da área vitícola da área de produção DOCG Prosecco di Conegliano-Valdobbiadene.

O panorama é caracterizado pelos chamados ciglioni, aterros nos quais foram criados estreitos e relvados terraços para as fileiras de vinhas. Durante séculos, esses terrenos inóspitos foram moldados e adequados para o cultivo pelo homem. Desde o século XVII, o uso do ciglioni criou um cenário particular de tabuleiro de xadrez que consiste em fileiras de vinhas paralelas umas às outras e verticais às encostas. No século 19, a técnica de cultivo da bellussera contribuiu para as características estéticas da região.

A rota do Prosecco

A  Strada del Prosecco  (ou  Rota do Prosecco ) se desenrola dentro de um vasto teatro natural no Vêneto quase inteiramente decorado por vinhedos, abadias, igrejas e castelos. Claro que a estrela deste roteiro é o Prosecco Conegliano Valdobbiadene DOCG, um dos nomes que, além de  Colli di Conegliano DOCG e  Verdiso IGT  ( Indicazione Geografica Tipica ), contribuíram para tornar a viticultura italiana famosa em todo o mundo.

A rota circular da Strada del Prosecco, portanto, serpenteia nas famosas – e únicas – colinas do Prosecco e atinge oficialmente 15 municípios, em uma extensão total de cerca de 105 km (um pouco mais de 50km por trecho) Conegliano, San Vendemiano, Colle Umberto, Vittorio Veneto, Tarzo, Cison di Valmarino , Follina, Miane, Valdobbiadene, Vidor, Farra di Soligo, Pieve di Soligo, Refrontolo, San Pietro di Feletto e Susegana.

Você pode decidir se vai viajar pela Rota do Prosecco de moto, bicicleta ou carro, desde que o meio de transporte escolhido lhe dê prazer para percorrer os mais de 50 km do roteiro de comida e vinho.

Como podem ver no mapa oficial (acima), o caminho que percorreremos passa pelos destinos que fazem parte da Rota Principal – Conegliano, Refrontolo e Valdobbiadene -, mas também ultrapassa os seus limites, para descobrir alguns dos mais belas e históricas aldeias do Vêneto – Vittorio Veneto, Cison di Valmarino e Follina – que pertencem ao igualmente sugestivo Caminho da História e da Cultura da Rota do Prosecco.

Rota do Prosecco no Vêneto - Itália

Os percursos que você pode tomar

De modo geral, existem dois percursos para fazer na rota do Prosecco, o “Percurso em Anel” ou a metade deste caminho. Enquanto este primeiro é a rota mais longa com um pouco mais de 100 quilômetros de distância entre as principais cidades do circuito, chamadas de capitais do Prosecco: Conegliano e Valdobbiadene. Esse é um trajeto circular, que permite aos turistas conhecerem os principais pontos históricos e culturais que esses locais têm a oferecer.

Agora, se você não tiver muito tempo para dedicar essa rota, o melhor caminho é o segundo percurso que citamos no início desse tópico, que é conhecido como o “Percurso em Meio Anel”. Mais da metade do primeiro trajeto, com cerca de 35 quilômetros, esse é um caminho que você poderá aproveitar grande parte da cultura local, já que estão incluídas algumas das 15 cidades desde Conegliano a Valdobbiadene.

Por isso, esse é o percurso mais utilizado pelos turistas quando vão visitar os famosos vinhedos do Prosecco.

Rota do Prosecco no Vêneto - Itália

O que conhecer na rota do Prosecco?

Porém, se você estiver viajando com alguém que não é tão fã de vinhos, saiba que poderá o convencer prometendo que irá conhecer lugares incríveis e pontos históricos intrigantes. Portanto, amante ou não de prosecco, será sempre uma experiência única para qualquer pessoa que esteja procurando uma viagem no tempo.

DICA:

É importante que você se organize no percurso e escolha vinícolas para ir visitando no percurso. Pois muitas recebem SOMENTE com reservas com antecedência (se quiser, entre em contato conosco que reservamos para você!). A beleza de ir pelas colinas nesta estrada é a possibilidade de conhecer garrafas e vinícolas novas, descobrir novos sabores e conhecer mais dessa maravilhosa cultura vinícola italiana!

Abaixo uma lista completa do que há para ver e fazer nesse trajeto:

1. Conegliano

Essa é uma das capitais da rota do Prosecco, mas não é somente um ponto de partida, já que aqui você poderá conhecer mais sobre a história local.

Imperdível o imponente Castelo medieval, Rocca di Castelvecchio, no topo do Colle di Giano. Subir pela sugestiva Via Madonna della Neve é ​​obrigatório para desfrutar de uma vista deslumbrante do inimitável espetáculo dos vinhedos abaixo.
No topo é possível visitar o Museu Cívico de Conegliano, instalado na Torre della Campana, onde existe um interessante exposição arqueológica com achados datados de 4.000 aC.

Durante o passeio pelo característico centro histórico, é possível conhecer o Duomo, com a sua bela fachada com afrescos, e a Casa-Museu Giambattista Cima, também conhecida pela alcunha de Cima da Conegliano, um dos mais importantes expoentes da Escola Renascentista de Veneza. O centro histórico, por exemplo, na rua “XX de Setembro” é conhecida como a antiga rua “Contrada Grande”, que você encontra vários palácios decorados.

Não muito longe fica o histórico Instituto Cerletti, a escola enológica mais antiga da Itália fundada em 1876 (a Bottega del Vino do século XIX e seus afrescos podem ser visitados mediante reserva e o museu dedicado ao Prof. Luigi Manzoni, criador do famoso “Incroci Manzoni “, vinhas que geram vinhos muito interessantes).

Daqui tomamos a Rota dos Vinhos em direção a Collabrigo, uma vila que oferece vistas sugestivas sobre as colinas circundantes, salpicadas de vinhas e pequenas manchas arborizadas. A Villa Ghin Montalban do século XVIII também é interessante.

Em seguida, continue em direção à Rua di San Pietro di Feletto e sua eremo camaldulense do século XVII (sede da Câmara Municipal), para chegar a San Pietro di Feletto, onde está o esplêndido Pieve do século XII.

2. Pieve di San Pietro di Feletto

Caso esteja procurando por uma vista panorâmica para tirar uma bela foto, então conheça o Pieve di San Pietro di Feletto.

A Pieve do ano 1.000 e com afrescos impressionantes de 1100 a 1400, não tem só uma vista maravilhosa.  O mais incrível é o afresco de “Cristo della Domenica“, onde demonstra o pecado de trabalhar no domingo, dia do Senhor é representado pelas ferramentas agrícolas, uma reminiscência da viticultura, mostrando o quanto a cultura vitivinícola na região é muito antiga.

Rota do Prosecco no Vêneto - Itália

3. Osteria senza Oste

Próximo ao ponto final ou começo da rota do Prosecco, dependendo de onde irá iniciar a sua jornada, está o Ostetia senza Oste, que também conhecida como o “bar sem dono”.

Esse casebre com estilo rústico, em que todos são bem-vindos, seja para experimentar o tradicional Prosecco ou para degustar os petiscos locais, como salames, queijos e pães.

Porém, o que há de mais interessante é que não existe um garçom, muito menos um balcão para pagar a conta ou fazer um pedido. É como se existisse um acordo entre os locais, sobre como é feito o pagamento.

Isso quer dizer, que você é responsável por calcular os seus gastos e deixar o pagamento certo, já que todos os produtos possuem etiquetas mostrando os preços correspondentes.

Sendo este um modo interessante para fazer negócio, que impressiona pelo jeito peculiar de confiar nos clientes. Porém, o que chama ainda mais a atenção é a vista espetacular das colinas no lado de fora.

4. Abadia de Follina

Caso esteja partindo de Valdobbiadene, siga até a Follina que não irá se arrepender. Lá você encontra mais de 20 quilômetros de paisagens que certamente vão tirar o seu fôlego.

São várias videiras, construções rústicas, cidades pitorescas, que fazem desse um lugar único para fazer um passeio. Porém, a atração principal entre os turistas é a Abbazia cistercense Santa Maria di Follina.

Este é um monastério que foi construído no século X pela ordem cisterciense, que tem origem beneditina.No começo do século XIII, esse era um lugar cheio de riquezas artísticas, mas durante a Primeira Guerra Mundial, a Abadia de Santa Maria foi danificada pelas batalhas que ocorreram no local. Porém, ainda hoje esse é um local sagrado e a moradia dos Servos de Maria, além de ser um projeto arquitetônico único para a região de Vêneto.

5. Refrontolo e o Molinetto della Croda

O próximo local interessante para visitar enquanto estiver na rota do Prosecco é Refrontolo, outro pequeno vilarejo pitoresco com ruas de paralelepípedos. Também interessante de visitar é a Igreja Matriz, que tem uma fachada limpa e racional e abriga importantes pinturas de artistas locais, e a Villa Battaglia Spada do século XVII, um misto de esplendor e mistério.

No entanto, a verdadeira atração do Refrontolo é o Molinetto della Croda, talvez o lugar mais conto de fadas de toda a área: é um moinho de água do século XVII feito de pedra e madeira, junto com um alojamento para a família do zelador, uma estala e um celeiro, usado para moer o milho e fazer polenta.

O moinho  usa as águas do Rio Lierza, o principal afluente do Soligo, ao pé de uma cascata de 12 metros. Um cenário de paz e tranquilidade. Detalhe, o moinho ainda funciona!!

Di Castel29 – Opera propria, CC BY-SA 4.0, Wikipedia Commons

6. Cison di Valmarino

Perto de Refrontolo fica um dos mais belos burgos do Veneto, justamente incluída na lista dos “Borghi più Belli d’Italia”. É Cison di Valmarino, uma pequena joia de origem antiga na Marca Trevigiana que nos acolhe de longe com o seu Castelbrando, um dos mais belos castelos medievais da Europa hoje convertido em um hotel de luxo, no alto de uma colina.

O centro histórico também é encantador, conheça a Loggia, antiga sede do tribunal, onde fica o Museu da Rádio, e à Igreja Arcipretale, muito especial pela presença de duas fachadas, uma diferente da outra.

Cison di Valmarino, no entanto, é um excelente ponto de partida também para agradáveis ​​passeios em meio a natureza, como por exemplo o caminho da Vie dell’Acqua que sobe o rio Rujo e ao longo do qual é possível encontrar alguns pitorescos moinhos de água.

Rota do Prosecco no Vêneto - Itália
Rota do Prosecco no Vêneto – Itália

7. Villa Brandolini e Pieve di Soligo

Uma vez em Solighetto, descobrimos a Villa Brandolini D’Adda do século XVIII, sede do Consorzio Tutela del Vino Prosecco Conegliano Valdobbiadene Docg e local que recebe diversos eventos culturais.

Não muito longe, em Soligo, ergue-se a pequena igreja de Santa Maria Nova que data, tal como os seus frescos, do século XIV. Uma curta excursão leva ao pequeno templo de San Gallo na colina de mesmo nome, de onde você pode desfrutar de uma vista panorâmica extraordinária do vale abaixo.

Rota do Prosecco no Vêneto - Itália

Depois de passar a Farra di Soligo, chega-se ao Col San Martino com suas torres medievais de Credazzo, testemunho da presença lombarda, e a autêntica joia arquitetônica e artística.

Até Colbertaldo pode-se desfrutar de uma paisagem ainda em grande parte intacta e desenhada por pequenos cones de colina, poeticamente definidos como caracóis, muitas vezes pontilhados com os antigos ‘Casére’ onde os camponeses ainda hoje abrigam seu feno e ferramentas.

Rota do Prosecco no Vêneto - Itália

8. Valdobbiadene

Por último, não deixe de conferir o que a cidade de Valdobbiadene tem a oferecer. Além de ser o ponto auge da rota do Prosecco, já que a paisagem é exuberante, é aqui você encontrará os melhores vinhos.

A nossa viagem continua para norte, mergulhando em vinhas sem fim para chegar ao que é a cru por excelência da zona do Prosecco Superiore DOCG, que é a zona de Cartizze onde se obtém o precioso espumante homónimo.

Resta um pouco de tempo para uma curta caminhada no parque e depois a pé em direção à praça da cidade para terminar o roteiro com uma bela taça de Prosecco, ou melhor, Valdobbiane DOGC, após uma jornada de mais de 50km!

? Guia Prático

Depois de ler esse conteúdo, ficou curioso para conhecer a rota do Prosecco? Então não deixe para depois e já inclua esse trajeto no seu roteiro de viagem pela Itália. Além de aproveitar paisagens estonteantes, você ainda poderá ficar provando vários vinhos deliciosos e desfrutando dos seus sabores únicos, que são reconhecidos pelo mundo todo.

Nos temos serviço de reserva de vinícolas, transporte com motorista e guias em português na região, entre em contato!

Assim, se você gostou desse artigo, mas ficou com alguma dúvida, não esqueça de deixar o seu comentário abaixo.

Eventos

Se você estiver planejando um passeio por aqui, lembre-se destes eventos anuais imperdíveis:

  • Primavera do Prosecco Superiore (de março a junho);
  • Cantine Aperte (final de maio);
  • Festival do Vinho de Conegliano (no outono);
  • Colheita e fim de semana na adega (no outono);
  • Centomiglia na Prosecco Superiore Road (no outono), um evento com carros antigos percorrendo a rota do vinho;
  • Prosecco Cycling (no outono), corrida de ciclismo aberta a amadores e agonistas.
O que comer
Obviamente, também é necessário indagar sobre as especialidades gastronômicas da região de Conegliano-Valdobbiadene, porque todas essas bolhas devem ser “diluídas” com algo igualmente agradável e prestigioso. Indicamos para acompanhar alguns embutidos típicos da região, como o Ossocollo, obtido a partir do pescoço do porco, Soppressa, uma especialidade local que é produzida pela adição de prosecco e pedaços de maçã à mistura de carne, e Figalét, linguiça de fígado e passas, talvez acompanhado de alguns cogumelos em óleo e algumas fatias de Formaggio Ubriaco, em português “Queijo Bêbado” – deixados para dar sabor alguns dias, adivinha onde?
Mapa:
baixe o mapa oficial do percurso AQUI
Sobre Deyse RibeiroDeyse Ribeiro é natural de Minas Gerais, mas vive na Toscana desde 2007. Fez curso de sommelier na FISAR, master em Wine Expert (Academia del Gusto) e Guia Enológica na Itália. É empresária, guia de turismo, especialista em turismo de experiência na Itália, além de editora do Portal Tour na Itália, e deste site.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *