Vinho Italiano

Os vinhos da região Abruzzo

Abruzzo é uma região muito variada e interessante, quer do ponto de vista dos vinhos que produz, quer do ponto de vista da gastronomia regional. Vamos conhecer então, os vinhos da região Abruzzo?

Abruzzo é uma região predominantemente montanhosa, limitada a norte pelo rio Tronto, que marca a fronteira com o Marche, a leste pelos Apeninos Centrais que o separam do Lazio, a sul pelo rio Trigno, fronteira com o Molise, e ao oeste do Mar Adriático. A oeste temos o cinturão montanhoso formado pelos Monti della Laga, o Gran Sasso e o Massiccio della Maiella, que se inclina suavemente em direção a um cinturão montanhoso sub-apenino, até chegar ao Adriático. O clima da região é ameno, especialmente no lado do Adriático. Torna-se mais continental indo para o interior e com o aumento da altitude. O nível médio de precipitação é bom, mais escasso no litoral e maior no interior.

Vinho em Abruzzo em números

  • Área de vinha em Abruzzo: 32.000 ha, dos quais 4% nas montanhas e 96% nas colinas.
  • Produção de vinho de Abruzzo: 2.600.000 hl dos quais 38% vinhos DOP e 15% vinhos IGP, 30% vinhos tintos e rosés, 70% vinhos brancos.
  • Denominações de origem do vinho em Abruzzo: 1 DOCG, 8 DOC, 8 IGT

Viticultura em Abruzzo

A área de vinha em Abruzzo ultrapassa os 32.000 hectares, dos quais quase 96% está localizado na serra, enquanto 4% é representado pela viticultura de montanha. Como forma de criação, a Pergola, localmente denominada “Capanna”, ainda é muito difundida, enquanto sistemas obsoletos como a maritate de Alberate deram lugar a sistemas de formação mais modernos, como a Controspalliera, Cordone speronato e Guyot. A produção total de vinho excede 2,6 milhões de hectolitros, dos quais mais de 30% são denominações DOC e DOCG.

As Denominações de origem

Desde os anos 60, depois de ter sido reconhecido pelo “DOC”, os vinhos da Abruzzo tornaram-se progressivamente conhecidos no mundo. Eis a lista completa:

Mapa via quatrocalicic
  •  Montepulciano d’Abruzzo Colline Teramane DOCG »
  • Abruzzo DOC »
  • Cerasuolo d’Abruzzo DOC »
  • Controguerra DOC »
  • Montepulciano d’Abruzzo DOC
  • Ortona DOC »
  • Terre Tollesi DOCG »
  • Trebbiano d’Abruzzo DOC »
  • Villamagna DOC »
  • Colli Aprutini IGT »
  • Colli del Sangro IGT »
  • Colline Frentane IGT »
  • Colline Pescaresi IGT »
  • Colline Teatine IGT »
  • Del Vastese (o Histonium) IGT »
  • Terre Aquilane IGT »
  • Terre di Chieti IGT »

O vinho mais famoso é o Montepulciano d’Abruzzo delle Colline Teramane DOCG, que em comparação com o correspondente Montepulciano d’Abruzzo DOC deve fazer um ano de envelhecimento em madeira antes de ser colocado no mercado. De Montepulciano, você também pode obter o Cerasuolo d’Abruzzo DOC, frutado, fresco, macio, encorpado e fácil de beber, que acompanha todos os pratos.

Outros DOCs da região são Trebbiano d’Abruzzo DOC, Controguerra DOC (com seus diferentes tipos de produtos, que variam de passito a vinho espumante, com videiras indígenas ou internacionais, com foco exclusivo na territorialidade do produto, uma vez que os municípios envolvidos são apenas cinco. ) Por dois anos, uma outra denominação foi introduzida, o Abruzzo DOC, que inclui todas as videiras autóctones da região de Abruzzo, também no tipo espumante e passito.

Em Abruzzo existe apenas uma denominação DOCG, Montepulciano d’Abruzzo delle Colline Teramane DOCG, 8 denominações DOC e 8 denominações IGT.

O vinho Trebbiano d’Abruzzo DOC é obtido da mistura de uvas Trebbiano Abruzzese com outras variedades como Cococciola, Passerina, Pecorino, Malvasia e outras. Montonico também produz um método clássico de espumante, único e inimitável, com características organolépticas claras e o frescor que permite tempos de maturação médio-longos. Nas uvas Passerina são obtidos vinhos tranquilos e espumantes, frescos, frutados, com um leve aroma floral de flores brancas quando jovens, encorpados e bem estruturados. Cococciola dá um vinho com caracteres inicialmente herbáceos, mas que evoluem com a maturação, ricos em acidez e, portanto, de grande frescura. Hoje é usado tanto em misturas (também para vinho espumante) quanto em algumas realidades também em pureza. Pecorino fornece um vinho branco altamente estruturado para o bom teor de açúcar que as uvas garantem, acompanhado por uma boa acidez que a torna fresca e animada.

Um derivado típico da uva da região é o vinho cozido (vino cotto), que não pode ser comercializado como um vinho real, mas como um produto da agro-alimentação tradicional. O vinho cozido envolve cozinhar o mosto com uma redução de cerca de 30% em volume, o que leva a uma cor âmbar mais ou menos clara devido à caramelização dos açúcares. O mosto é fermentado e o vinho resultante é doce, com notas de geléia, raiz de alcaçuz e especiarias. Vai bem com os doces secos típicos da região. O mosto cozido também é usado para a produção de doces especiais, como o nevole.

 Licores do Abruzzo

Há dois licores no Abruzzo que devem ser mencionados:

  • o Centerbe Tocco Casauria, uma receita antiga com alto teor alcoólico, usada como digestivo, produzida com ervas que crescem na Maiella;
  • e o L’Aurun di Pescara, e o requintado licor de laranja doce para ser degustado apenas com sorvete
Sobre Deyse RibeiroDeyse Ribeiro é natural de Minas Gerais, mas vive na Toscana desde 2007. Fez curso de sommelier na FISAR, master em Wine Expert (Academia del Gusto) e Guia Enológica na Itália. É empresária, guia de turismo, especialista em turismo de experiência na Itália, além de editora do Portal Tour na Itália, e deste site.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.